asfalto100pcreciclavel

Asfalto 100% Reciclável

O Projeto Asfalto 100% Reciclável é um compromisso sócio-ambiental cujo objetivo é o reaproveitamento integral dos resíduos de demolição de pavimentos asfálticos no processo de produção de novo concreto asfáltico, nos mesmos moldes adotados pelos integrantes da NAPA – National Asphalt Pavement Association, dos EUA.

A construção civil é um grande consumidor de materiais. Mesmo uma pequena habitação incorpora grande quantidade de insumos. É também um mercado universal e contínuo.

O aproveitamento econômico dos Resíduos da Construção Civil (entulho) ainda é incipiente no Brasil. Nas cidades de médio e grande porte o entulho representa até 71% da massa de resíduos sólidos urbanos. O entulho gerado em sua grande maioria é despejado em locais não gerenciados e, inclusive, em mananciais hídricos.

Cerca de 63% de todos os investimentos feitos no país passa pela cadeia da indústria da construção civil, sendo esse o setor produtivo brasileiro que mais demanda recursos naturais, renováveis e não renováveis.

O consumo de agregados naturais nas cidades brasileiras de médio e grande porte varia entre 6 e 8 t/hab.ano. O concreto asfáltico é composto basicamente de recursos naturais não renováveis: o CAP (cimento asfáltico de petróleo) e agregados minerais (areia e pedra britada).

O petróleo, antes abundante e barato, apresenta-se atualmente como um recurso cada vez mais escasso e oneroso. O processo de produção dos seus derivados, por sua vez, é um grande agente poluidor.

A areia, apesar de ainda relativamente abundante, basicamente é extraída dos mananciais hídricos. A sua extração pode até contribuir para o desassoreamento de alguns rios, se houver manejo adequado. Entretanto, esses mananciais encontram-se cada vez mais distantes dos centros consumidores, o que acarreta na elevação dos custos com transporte.

A extração e beneficiamento de pedra britada produz impacto no meio ambiente. A preparação de uma jazida para exploração requer a remoção de vegetação e camada de solo, alterando o ecossistema existente. O processo produtivo polui o ar ao lançar pó de rocha e gases explosivos na atmosfera.

O resíduo de demolição de pavimentos asfálticos é composto por esses mesmos componentes, que podem ser reinseridos integralmente no processo produtivo de um novo concreto asfáltico.

Nos EUA e Europa 100% do resíduo de demolição de pavimentos asfálticos é recuperado. Especificamente na Europa 15% do novo concreto asfáltico produzido é composto de RAP (sigla em inglês de Reclaimed Asphalt Pavement – Pavimento Asfáltico Recuperado).

As agências internacionais de fomento (BID, BCIE, BDC, Banco Mundial etc) recomendam o uso do RAP nas linhas de financiamento que envolvam intervenções em pavimentação asfáltica, com forte tendência de se tornar obrigatório, seguindo os regulamentos das agências norte americanas e europeias.

Desta forma, a adoção de um programa de gerenciamento dos resíduos de demolição de pavimentos asfálticos e seu posterior aproveitamento significaria:

  • Reduzir o consumo de hidrocarbonetos;
  • Reduzir a poluição causada pelo processo de produção de derivados do petróleo;
  • Reduzir os custos com extração e transporte de areia;
  • Reduzir o impacto ambiental causado pela preparação de uma jazida de extração e beneficiamento de pedra britada;
  • Oferecer uma correta destinação para o resíduo de demolição de pavimentos asfálticos;
  • Antecipar-se às futuras exigências das agências de desenvolvimento.